Entre o conhecimento e a verdade: o desafiador dilema da educação contemporânea

  • Pedro Goergen
Palabras clave: Educação e mercado, conhecimento e verdade, formação humana

Resumen

O ensaio analisa a relação hoje existente entre educação e mercado. Trata-se de uma realidade cada vez mais forte e evidente, com influência determinante sobre os rumos, os sentidos e as práticas pedagógicas. Cada vez mais a educação é funcionalizada no sentido de tornar-se uma prática voltada ao atendimento dos interesses e objetivos do mercado e não da formação das pessoas enquanto seres humanos autônomos e livres. O texto defende o ponto de vista de que a educação, muito embora deva preparar as pessoas para o exercício profissional, deve ter, como responsabilidade fundamental, a educação integral das pessoas, envolvendo as dimensões racional, ética e estética. O texto tem, portanto, o objetivo de chamar a atenção do leitor para o risco do reducionismo pedagógico que trata apenas de preparar os jovens para o mercado de trabalho, cujos interesses são permeados pelo produtivismo, competitividade, monetarismo e a concorrência generalizada entre as pessoas. Tal tendência reduz e desqualifica qualquer potência transcendente de natureza ética que valoriza o cenário de direitos e deveres entre os seres humanos focados no bem comum, objetivo maior da educação.

Citas

ADORNO, Th. y HORKHEIMER, M. (1985) Dialética do esclarecimento. Jorge Zahar Editor, Rio de Janeiro.
ARENDT, H. (1981) A condição humana. Editora Universidade de São Paulo, São Paulo.
BAUDRILLARD, J. (2007) A sociedade de consumo. Edições 70, Lisboa.
DE LA BOETIE, E. (2009) Discurso sobre a servidão voluntária. Editora Revista dos Tribunais, São Paulo.
DARDOT, P. y LAVAL, Chr. (2016) A nova razão do mundo. Boitempo, São Paulo.
DARDOT, P. y LAVAL, Chr. (2017). Comum. Ensaio sobre a revolução no século XXI. Boitempo Editorial, São Paulo.
DUFOUR, D. R. (2005) A arte de reduzir as cabeças: sobre a nova servidão na sociedade ultraliberal. Companhia de Freud Editora, Rio de Janeiro.
FOUCAULT, M. (1977) Vigiar e punir. Editora Vozes, Petrópolis.
FOUCAULT, M. (2004) A hermenêutica do sujeito. Editora Martins Fontes, São Paulo.
HARDT, M. y NEGRI, A. (2016) Bem estar comum. Editora Record, Rio de Janeiro.
HEGEL, W. Fr. (1990) Princípios da filosofia do direito. Guimarães Editores, Lisboa.
LAVAL, CHR.; VERGNE, Fr.; CLÉMENT, P. y DREUX, G. (2012) La nouvelle école capitaliste. Editions La Découverte, Paris.
ZIZEK, Sl. (2016) O sujeito incômodo. Boitempo Editorial, São Paulo.
Publicado
2019-06-18