A educação, a crise da esfera pública e o desafio da formação da vontade democrática sob a égide do neoliberalismo

  • Angelo Vitório Cenci
Palabras clave: Educação, esfera pública, vontade democrática, liberdade social

Resumen

O artigo toma como insight o problema constatado por Axel Honneth acerca da dissociação entre teoria da democracia e teoria da educação presente na filosofia política atual. Após posicionar o problema (I) explora-se a questão do enfraquecimento da democracia, resultante do hiperinflacionamento da sociedade de mercado neoliberal (II) e algumas das causas do descuido da educação para com a formação da vontade democrática (III). Por fim, no esforço de defender a necessidade de a educação ocupar-se com a formação da vontade democrática, concentra-se no delineamento de duas perspectivas. A primeira, retomando brevemente as contribuições de Kant, Durkheim e Dewey, em diálogo com Honneth, consiste em destacar a defesa da escola em seu ainda imprescindível papel regenerador de condutas democráticas. A segunda, atém-se a considerar a esfera dos processos educativos formais - com base no conceito de liberdade social - ainda como um contexto propício para a formação inicial da vontade democrática e, pois - sob condições de relações de reconhecimento recíproco - de realização dos primeiros fundamentos da liberdade social (IV).

Citas

BARBOSA, L. M. R. (2018) Ensino em casa no Brasil: aspectos legais. Disponível em: http://www.anpae.org.br/congressos_antigos/simposio2009/184.pdf. Acesso em 12.03.2018.
BARBOSA, L. M. R. y OLIVEIRA, R. L. P. (2017) "Apresentação do Dossiê: Homeschooling e o Direito à Educação" en Pro-posições. V. 28, N. 2 (83) | Maio/Ago, 15-20. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pp/v28n2/0103-7307-pp-28-2-0015.pdf
BIESTA, G. (2013) Para além da aprendizagem: educação democrática para um futuro humano. Aautêntica, Belo Horizonte.
BROWN, W. (2009) "Nous sommes tous démocrates à present", in AGAMBEN, G. et al. Démocratie, dans quel état? La Fabrique, París.
CASARA, R. R. R. (2017) Estado pós-democrático, neo-obscurantismo e gestão dos indesejáveis. 2ed. Civilização Brasileira, Rio de Janeiro.
CROUCH, C. (2004) La posdemocracia. Taurus, Madrid.
DALBOSCO, C. A. (2016) Condição humana e educação do amor-próprio em Jean-Jacques Rousseau. Loyola, São Paulo.
DARDOT, P.; LAVAL, C. (2016) A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. Boitempo, São Paulo.
DEWEY, J. (1959) Democracia e educação: introdução à filosofia da educação. 4.ed. Nacional, São Paulo.
DURKHEIM, E. (2009) Educação e sociologia. Edições 70, Lisboa.
HONNETH, A. (2013) Educação e esfera pública democrática: Um capítulo negligenciado da filosofia política. Civitas. Porto Alegre, v. 13, n.3, p. 544-562, set.-dez. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/civitas/article/view/16529
HONNETH, A. (2014) El derecho de la libertad. Katz, Buenos Aires.
HONNETH, A. (2017) in DOBON, F. J.; HERZOG, B.; MARTINS, M. R. La Educación y la Teoría del Reconocimiento: entrevista a Axel Honneth. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 42, n. 1, p. 395-406. Disponível em:
http://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/70297. Acesso em 03.03.2018.
KANT, I. (1999) Sobre a pedagogia. Unesp, São Paulo.
KLEIN, N. (2008) A doutrina do choque: a ascensão do capitalismo de desastre. Nova Fronteira, Rio de Janeiro.
KRAWCZYK, N. (2018) Charter school: uma escola pública que caminha e fala como escola privada. Disponível em: https://www.cartaeducacao.com.br/entrevistas/charter-school-uma-escola-publica-que-caminha-e-fala-como-escola-privada/ Acesso em 09.09.2018.
LAVAL, C. (2004) A escola não é uma empresa: o neo-liberalismo em ataque ao ensino público. Editora Planta, Londrina.
LIMA, L. C. (2012) Aprender para ganhar, conhecer para competir: sobre a subordinação da educação na ´sociedade da aprendizagem`. Cortez, São Paulo.
PIKETTY, T. (2014) O Capital no Século XXI. Intrínseca, Rio de Janeiro.
PIKETTY, T. (2015) A economia da desigualdade. Intrínseca, Rio de Janeiro.
RANCIÉRE, J. (2014) O ódio à democracia. Boitempo, São Paulo.
ROUSSEAU, J.-J. (2010) Du contrat social. Gallimard, París.
SANTOS, B. S. (2003) Democratizar a democracia: os caminhos da democracia participativa. Civilização Brasileira, Rio de Janeiro.
SENNETT, R. (2006) A corrosão do caráter. 11 ed. Record, Rio de Janeiro.
VASCONCELOS, M. C. C. (2017) "Educação na casa: perspectivas de desescolarização ou liberdade de escolha?" en Pro-posições. V. 28, N. 2 (83) | Maio/Ago, 122-140. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pp/v28n2/0103-7307-pp-28-2-0122.pdf. Acesso em 03.03.2019.
VON MISES, L. (2017) As seis Lições. LVM Editora, São Paulo.
WERLE, D.; MELO, R. (2007) "Introdução: teoria crítica, teorias da justiça e a reatualização de Hegel", in HONNETH, A. Sofrimento de indeterminação: uma reatualização da Filosofia do direito de Hegel. Esfera Pública, São Paulo.
Publicado
2019-06-18